RECEIO E ESPERANÇA

Inicia-se 2015, o ano temido por todos nós.

Mas, se há receio, também há esperança, esse milagre que nos faz

seguir mesmo quando o horizonte está nebuloso.

A esperança nos leva a buscar o desconhecido e nos encoraja a novas

conquistas. Mas, só a esperança não basta. Precisamos de atitudes que

nos façam merecedores dos nossos objetivos. O campo de ação que temos

nesse sentido é vasto. Somos uma multiplicidade de seres racionais e

irracionais que habitamos este planeta. A nosso lado sempre estará o outro

a precisar de auxílio. Todos temos diferenças a serem compreendidas.

Mas, as dessemelhanças entre os seres devem ser vistas como riquezas

culturais e não como motivos para confrontos entre os homens.

Cada povo, sabemos, tende a preservar sua raça, suas crenças,

seus hábitos, seus valores.

Mas, o mundo atual assusta. Todos estamos perplexos diante dos últimos

acontecimentos. O medo pode nos afastar do outro e são muitos os

que necessitam de ajuda. Alguns, mutilados no corpo e na alma, totalmente

incapazes. Outros, capazes de tudo. Mas, “somos o que fazemos,

principalmente o que fazemos para mudar o que somos,” diz o escritor

uruguaio Eduardo Galeano.

Neste ano, façamos o propósito de ajudar mais. Dentro de nós

encontraremos os meios mais fáceis para este fim. Os homens e,

consequentemente, o mundo, mudarão para melhor.

E os efeitos de 2015 serão mais suaves.

Boa sorte !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *