P E R F I L

Minha alma canta

ao compasso dos novos tempos

enquanto meu corpo se curva

sob o peso que transporta.

Quem eu seja não importa,

sou quem sou,

o que sobrou de mim.

Meu todo,

meus restos,

ficaram para trás,

doei

por onde passei.

2 comentários P E R F I L

  1. vania martins

    Tia, por toda a minha vida, segui seus passos, muito de mim, gestos, e o que eu quis admirando na senhora: imitei. Também faço parte da curva que lhe curvou com o peso do tempo, ele também, já começa a pesar em mim. A poetisa escreve contando o que viu e viveu, são seus contos, que muitos que irão ler, se encontrarão nas suas historias. Viva para sempre com suas pisadas gravadas nas pedras, nas areias, nos caminhos, nas veredas, nas estradas longas, com passos ligeiros, hoje passos lentos mas firmes, dignos de uma grande mulher, de uma grande dama!

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *