Súplica

Ó Deus, que me fizeste

confundir o fascínio das estrelas próximas

com a frieza das estrelas longínquas;

que me fizeste caminhar sem dores

sobre flores e espinhos;

que me fizeste ouvir vozes que chamam

e emudecem;

que me fizeste conhecer mãos que acolhem

e maltratam;

que me fizeste ver vultos que abraçam

e se afastam,

ensina-me, agora, a perceber

e a entender

Teus hinos etéreos e divinos.

Espectros

À noite,

sombras esquálidas e enigmáticas

sobre as portas do meu quarto,

imagens frágeis e maleáveis

alí, subitamente postas,

falam de coias mortas.

E meu sonho tumultuado

percorre estradas tortas,

o mesmo caminho por mim andado.

Por momentos,

vivo tormentos.

Encontro espectros do meu passado.

Casa vazia

Entrada:

tapete de hera pela calçada,

guirlandas murchas pelas janelas,

madressilvas pelo chão.

Saguão:

perfume de alecrim,

de manjericão,

de arruda,

presença essencial.

Quintal:

botões de laranjeira,
,
flores sobre o matagal,

silêncio, singularidade,

saudade.

Estranho sentimento

O Amor é ternura que se dá espontaneamente.

Mal que acaricia a alma,

doce espera, esperada calma,

loucura – salvação da mente.

Chaga que se cura sem sarar,

algema que machuca sem ferir,

dor que estanca sem parar.

Elo que se desprende,

coerência e desligar,

sentimento que não se entende

Reflexão

Assumo meus atos.

Posso sair da sombra,

despertar minha consciência

e perceber que estou alheia à vida,

que minhas mãos apenas gesticulam,

não se doam,

que minha boca escancarada

apenas revela um gesto ingênuo de fantoche,

não se comunica.

Deixarei, então, de brincar com meus sentimentos,

e de fazer mímicas das minhas verdades.

Escrito por Adelice às 01h12

Fragmentos

A vida é uma grande busca

num resumido tempo.

Mas creio que vale a pena

este confronto de idéias nesta exiguidade de tempo.

Procuro desfazer as sombras do passado.

Creio que o presente é a verdade

 e a verdade não se deixa obscurecer.

Creio que nem todas as mentes se pervertem,

nem todos os corações secam, nem todas as mãos

se espalmam vazias e inúteis.

Creio, apesar de tudo, no amor

como a única virtude capaz de superar

o ódio entre os homens.

Momentos

Por momentos

não sou,

não sinto,

não estou.

Estático, meu corpo inerte é nada.

Entre a morte e o viver,

apenas uma esperança vaga:

minha alma, leve, a evolar-se

qual essência

e, na transcendência,

só ela e o silêncio,

por instantes,

são dois amantes.

Reações

Angústias,

anseios,

enleios,

são astúcias da alma,

sentimentos vulnerantes,

bem o sei.

As emoções,

imprevisíveis como as ações vulcânicas,

são breves reações,

tão somente.

Temo, apenas, que esse magma

solidificado no meu peito,

entre em ardência, de repente.