Ambiguidades

A última estação da vida é

cinza, sombria e fria como

a última estação do ano.

Enfim, o inverno.

Um tempo dúbio,

necessariamente estável,

naturalmente fugaz.

Sombrio, torna-se ardente,

de repente.

Austero, comove com lembranças

de particularidades perdidas

num passado morto.

Célere rumo ao futuro amedronta

e conforta com a realidade do presente:

as turbulências de momentos singulares

e a fragilidade que se faz força,

necessariamente.

É um tempo inevitável,

irremediavelmente dúbio,

amável e violento,

de coragem e medo,

de frio, calmaria e vento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *